segunda-feira, abril 27, 2009

25 de Abril

No sábado passado o Zé Povinho teve a oportunidade de comemorar mais um aniversário da Revolução do 25 de Abril, mas não quiz.
Este ano o Zé não se lembrou da Revolução, ainda chegou a ver na tv os excelentíssimos senhores deputados com um cravo ao peito, mas pensou que o parlamento se tinha convertido num espaço de venda para os "quer frô" e então passou o seu sábado como faz sempre a rezar e a pedir a Fátima para ver se era desta que o Benfica ganhava o campeonato, estranhamente depois do 25 de Abril tal feito tornou-se um fenómeno tão raro como a honestidade política.
Para o Zé o "25 de Abril" só faz sentido se for a uma sexta-feira, melhor ainda se for a uma quinta-feira, que aí o governo cria uma ponte e o Zé pode ir comprar caramelos a Badajoz com as primas cabeludas de segundo grau, a esposa e o sr. engenheiro um rafeiro de três patas que sabe fazer o pino.
O Zé quer mesmo fazer uma petição para que o 25 de Abril tenha lugar na quinta-feira, seria uma espécie de "sexta-feira santa", que abriria a possibilidade de uma fantástica ponte para o fim de semana.
O Zé nunca percebeu muito bem o que foi isso do 25 de Abril, se agora isto é uma democracia porquê que haverá tanta desigualdade social, tanta currupção e tanta censura camuflada?